Dor na relação sexual: pode ser varizes pélvicas! Saiba mais sobre esta doença

Atualizado: 19 de Abr de 2020

As varizes, apesar de serem mais comuns nas pernas, também podem acometer as veias da região pélvica.  Essas varizes da região pélvica podem levar a quadro de dor durante e após a relação sexual e dor na parte inferior do abdome, a chamada dor pélvica crônica. Nesse artigo, você irá conhecer melhor o que é esta doença, como é investigada e qual é o tratamento.


Dor em baixo ventre e após a relação sexual pode ser varizes pélvicas

Síndrome da Congestão Pélvica: entenda o que é isso


As varizes pélvicas são veias dilatadas ao redor dos órgãos da pelve, como útero e ovários. A presença dessas varizes em grande quantidade leva ao aparecimento de sintomas, que caracterizam uma doença chamada Síndrome da Congestão Pélvica.


A síndrome da congestão pélvica é caracterizada pela presença de dor na região inferior do abdome, popularmente conhecida como baixo ventre. Essa dor geralmente piora antes e durante o período menstrual, levando a sensação de peso na parte baixa do abdome. Pode aparecer também após longos períodos em pé.

As veias ovarianas insuficientes são causa do aparecimento das varizes pélvicas

Geralmente, as mulheres que possuem essa doença apresentam dor durante a relação sexual, especialmente quando a penetração do pênis é mais profunda, e podem persistir com a sensação de peso pro horas após a relação. A dor após a relação sexual é inclusive uma das características mais marcantes dessa síndrome.


Outros sintomas que podem surgir são o aumento do sangramento menstrual e aparecimento de varizes na vulva, varizes na vagina, nos glúteos e nas pernas.


O refluxo nas veias da região pélvica podem, inclusive, ser causa de reaparecimento de varizes nas pernas daquelas mulheres que já realizaram cirurgia para varizes. Sendo assim, as varizes pélvicas devem sempre ser investigadas na recidiva da doença varicosa, porque podem ser a causa de seu reaparecimento em até 17% dos casos (saiba mais).


Por que as varizes pélvicas ocorrem?


As varizes pélvicas podem aparecer por dois motivos principais. O primeiro é a tendência genética, que leva ao enfraquecimento das paredes e das válvulas das veias ovarianas e das veias ilíacas internas, num processo semelhante ao que ocorre nas veias das pernas. Expliquei esse processo com detalhes no post "Por que eu tenho varizes?".


Alguns fatores podem contribuir para o aparecimento desse tipo de varizes nas pessoas que têm tendência. O principal deles é a gravidez. Quanto maior o número de vezes que a mulher ficou grávida, maior a pressão que o útero e o bebê exerceram sobre as veias das pelve, o que, associado com as mudanças hormonais, favorece o aparecimento de varizes na vulva, varizes na vagina e varizes nas pernas.  No post "Varizes na gravidez: saiba como prevenir este problema!" expliquei como podemos minimizar o aparecimento de varizes durante a gestação. Essa sobrecarga das veias pélvicas geralmente causa insuficiência das veias ovarianas, particularmente da veia ovariana esquerda, o que ocasiona o surgimento das varizes ao redor do útero, ovários e bexiga.


A compressão da veia renal pode ser cauda de varizes pélvicas e varizes na vagina
Síndrome Nutcracker

O segundo, e mais raro, motivo para o aparecimento das varizes pélvicas é a compressão ou obstrução venosa. Duas síndromes principais estão associadas com a síndrome de congestão pélvica. A Síndrome Nutcracker (ou do "quebra-nozes") é uma situação em que a veia renal esquerda é comprimida pela artéria mesentérica superior, a qual passa por cima dela. Como podemos ver na figura abaixo, a veia ovariana esquerda termina justamente na veia renal esquerda. Sendo assim, quando a passagem de sangue está obstruída na veia renal esquerda, o sangue fica acumulado nesta veia e nas veias ovariana e pélvicas, o que leva a congestão e aumento dessas veias. Os portadores dessa síndrome, além dos sintomas relacionados com a congestão das veias pélvicas, apresentam ainda dores nos flancos e perda de sangue na urina (hematúria).


A síndrome de Cockett ou May Thurner também é responsável pelo aparecimento das varizes pélvicas e varizes na vagina
A compressão da veia ilíaca esquerda pela artéria ilíaca direita é a causa das Síndromes de May-Thurner e Cockett

A Síndrome de Cockett e a síndrome de May-Thurner são outras doenças relacionadas com o aparecimento de varizes da região pélvica. Nessas síndromes ocorre a compressão da veia ilíaca comum esquerda pela artéria ilíaca comum direita, contra a coluna vertebral (veja a figura ao lado para entender melhor). Essa compressão ocorre em todas as pessoas em algum grau, porém, em determinados indivíduos, esta compressão chega ao ponto de ocluir a veia e causar trombose. Geralmente, os portadores dessa síndrome, além de varizes pélvicas, apresentam varizes, inchaço e episódios de trombose na perna esquerda.


Quando a compressão da veia ilíaca esquerda ocorre de forma isolada temos a Síndrome de May-Thurner. Já quando essa compressão está presente e acaba causando um quadro de trombose associado, trata-se da Síndrome de Cockett.


Toda pessoa que possui varizes exclusivamente no membro inferior esquerdo deve ser obrigatoriamente investigada para a síndrome de Cockett. As varizes pélvicas nessa síndrome ocorrem pela sobrecarga de sangue nas veias ilíacas devido à obstrução.

Esse sangue acumulado procura outros caminhos para chegar de volta ao coração, passando pela veias pélvicas e atingindo a veia ilíaca do lado direito, assim seguindo seu caminho.


Além dessas duas síndromes, a obstrução das veias ilíacas e veia cava inferior por um quadro de trombose venosa profunda também podem levar ao aparecimento de varizes pélvicas. Para saber mais sobre a trombose veno