Por que as varizes voltam depois de operar?

Atualizado: Abr 19

"Mas Doutora, de que adianta operar as varizes se elas voltam? Minha tia/prima/vizinha/amiga/conhecida operou há alguns anos e já está toda cheia de varizes outra vez!": muitas vezes ouço essa frase no consultório após indicar uma cirurgia de varizes.

Será mesmo verdade que as varizes voltam depois da cirurgia? Para entender isso, primeiro vou precisar explicar por que as varizes aparecem e depois mostrar porque elas reaparecem.



Como surgem as varizes?


Como eu já expliquei no post "Por que eu tenho varizes?", o principal fator de risco que leva ao surgimento das varizes é a GENÉTICA, ou seja, a tendência herdada do nosso pai e da nossa mãe. Nos genes de quem tem varizes está escrito que aquela pessoa tem tendência a ter insuficiência das veias, e o genes estão dentro de todas as células do corpo, incluindo todas as células que compões as paredes de todas as veias.


Sendo assim, não há como mudar a tendência da pessoa desenvolver as varizes, por mais que ela tenha tratado o problema. Quando realizamos qualquer tratamento para varizes, seja cirurgia, laser, radiofrequência, espuma etc., estamos retirando aquela veia que não está funcionando bem naquele momento. As veias que estão saudáveis, com funcionamento normal e tamanho inalterado não são tratadas. Porém, estas veias também possuem células com a mesma carga genética das veias doentes, sendo assim, são potenciais portadoras de insuficiência. Em outras palavras, essas veias poderão virar varizes no futuro.


Além da genética, outros fatores influenciam no aparecimento das varizes naquelas pessoas que têm tendência: alterações hormonais e uso de hormônios (como anticoncepcionais e terapia de reposição hormonal da menopausa), ficar em pé parado ou sentado por longos períodos, excesso de peso, sedentarismo e gravidez.

Ou seja, a pessoa que tem tendência ao aparecimento de varizes consegue, controlando os demais fatores, evitar ou pelo menos retardar o reaparecimento do problema após o tratamento.

Por isso que é imprescindível no pós operatório manter o peso ideal, fazer atividade física, evitar uso de hormônios etc.


Por que as varizes reaparecem após a cirurgia?


A taxa de reaparecimento das varizes após um procedimento cirúrgico para varizes varia de 7 a 65% em 5 anos na literatura médica.


As causas mais comuns apontadas pelos estudos científicos são a progressão da própria doença (de acordo com os fatores de risco que expliquei acima), neovascularização da área da junção safeno-femoral e não retirada de todas as fontes de refluxo venoso na cirurgia que foi realizada. Uma outra causa menos comum são vias anômalas de refluxo venoso, como nos casos de paciente com varizes pélvicas. Expliquei sobre esta doença no post "Dor na relação sexual: pode ser varizes pélvicas".


O exame de ultrassom doppler é de essencial importância antes da cirurgia de varizes. Esse exame precisa ser bem feito para identificar todas as veias com problemas, pois, se uma veia com problema for deixada sem tratamento na cirurgia, fatalmente o retorno das varizes será bem mais rápido. O exame deve ser realizado de forma correta e com o paciente em pé para dar todas as informações necessárias para que o médico cirurgião vascular possa saber quais as veias que apresentam problemas e precisam ser retiradas.


Um estudo publicado em 1996 (saiba mais aqui) mostrou que um detalhado exame de ultra-som doppler é essencial nos casos de reaparecimento das varizes após a cirurgia. Esse estudo identificou as principais vias de refluxo venoso que causam as recidivas, mostrando os locais que precisam ser tratados numa próxima cirurgia.


Como eu faço para as varizes não voltarem após a cirurgia?


Infelizmente, na maioria das vezes as varizes irão voltar mesmo que o tratamento seja feito de forma correta. Isso ocorre porque a doença irá progredir para aquelas veias que estavam saudáveis no momento da cirurgia. Como eu disse acima, em 5 anos a chance de reaparecimento do problema é de até 65% (!).


Para retardar o reaparecimento das varizes é importante realizar medidas que melhorem o retorno venoso, como a prática de exercícios físicos. Além disso, a manutenção do peso ideal, evitar ficar muito tempo em pé ou sentado parado e evitar uso de hormônios femininos são medidas que podem ajudar a retardar o problema.


É importante ainda manter o seguimento com o cirurgião vascular, pois, logo que for identificado o retorno das varizes, estas devem ser tratadas para evitar as temidas complicações como o escurecimento da pele da perna e aparecimento de úlceras varicosas.


______________________________________


Sobre a autora


Dra. Juliana Puggina é médica cirurgiã vascular e escreve artigos informativos no blog 'Pernas pra que te quero'. Formada em Medicina pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP), com residência médica em Cirurgia Vascular e Endovascular pela Universidade de São Paulo (USP). Membro da Sociedade Brasileira de Angiologia e Cirurgia Vascular e do American College of Phlebology.


Agende uma Consulta!

Rua Oscar Freire 2250 cj 101 e 102 -Jd. América - São Paulo/SP

Telefone 11 4118 0164 Whatsapp 11 99717 0557

Agende Online

INSTITUTO CIRCULAR

Para Pacientes

Para Médicos e Profissionais de Saúde

Institucional

As informações contidas nesse site têm caráter informativo e educacional. O seu conteúdo jamais deverá ser utilizado para autodiagnóstico, autotratamento e automedicação. Em caso de dúvida, o profissional médico deverá ser consultado, pois, somente ele está habilitado para praticar o ato médico, conforme recomendação do Conselho Federal de Medicina.

Contato

Tel: 11 4118 0164

Whatsapp: 11 99717 0557

contato@institutocircular.com.br

Rua Oscar Freire 2250 cj 101

Jardim América - São Paulo/SP

CEP: 05409-011

Horário de Funcionamento

Segunda a sexta 09 às 21h

Responsável Técnico

Dra. Juliana Puggina

CRM -SP 134.963 - RQE 48.682

Siga o Instituto Circular nas Redes Sociais

  • Instagram Instituto Circular
  • Canal do Instituto Circular YouTube
  • Fanpage Facebook Instituto Circular
  • LinkedIn do Instituto Circular
  • Twitter do Instituto Circular

©2019 por Instituto Circular - Puggina Serviços Médicos LTDA CNPJ 18.613.012/0001-57 - Todos os Direitos Reservados