Como é feita a cirurgia de varizes nas pernas? Passo a passo

Atualizado: 19 de Abr de 2020


Saiba como é feita a cirurgia de varizes

A cirurgia para retirada de varizes nas pernas é realizada desde o início do século passado e ao longo dos anos a técnica foi aprimorada e, neste artigo, vou detalhar os passos da cirurgia como ela é realizada nos dias de hoje.


Preparação para cirurgia de varizes nas pernas


A avaliação pré operatória é importante para a cirurgia de varizes

Após a indicação da cirurgia, o médico Cirurgião Vascular irá solicitar exames pré operatórios, de acordo com sua idade e condição de saúde. Pode também ser necessária a avaliação de um médico cardiologista para avaliação do risco cirúrgico em alguns casos. Isso somente precisa ser realizado quando a pessoa a ser operada tem algum problema de saúde mais sério.


Se estiver tudo bem e a pessoa estiver apta para a cirurgia, a cirurgia é agendada. Ela deve ser realizada em um hospital ou clínica que tenha estrutura suficiente para cuidar do paciente se, por acaso, alguma complicação acontecer.


Realidade aumentada mostrando varizes nutridoras de uma conjunto de vasinhos
Realidade aumentada mostrando varizes nutridoras de uma conjunto de vasinhos

Geralmente, a pessoa é internada no mesmo dia da cirurgia e, o tempo que ela vai permanecer internada depende do tamanho da cirurgia e da anestesia que precisará ser realizada. Pode variar de alta no mesmo dia da cirurgia, nas cirurgias menores realizadas com anestesia local, até alguns dias, quando ocorre alguma complicação.


Antes da cirurgia, o médico irá realizar a marcação das varizes com uma caneta hidrográfica com a pessoa em pé, porque assim as varizes se tornam mais aparentes e diminui a possibilidade de alguma veia não ser retirada na cirurgia. Alguns médicos utilizam aparelhos de iluminação, realidade aumentada e até ultrassom para marcar as varizes antes da cirurgia. Essa prática aumenta ainda mais o sucesso da cirurgia. 



Anestesia para cirurgia de varizes nas pernas

 

Quando a cirurgia envolve a retirada de apenas algumas veias colaterais e as safenas não precisam ser retiradas, ou quando é realizada a ablação da veia safena com laser ou com radiofrequência, a anestesia pode ser local. Neste caso, é realizada uma injeção de anestésico no local onde será feito cada pequeno corte na perna para a retirada da veia.


A raquianestesia é uma das possibilidades de anestesia para a cirurgia de varizes

Já quando existem várias veias para serem extirpadas ou quando é necessário realizar a safenectomia (retirada da veia safena), a anestesia precisa ser a anestesia raquidiana (aquela feita nas costas, como aquela que é realizada no parto) ou a anestesia geral


Depois da anestesia, o médico irá realizar a anti-sepsia e começar a cirurgia.


 A cirurgia para varizes nas pernas passo-a-passo


Se a veia safena não estiver doente, a cirurgia de retirada das varizes vai consistir na realização de incisões bem pequenas, de 1 a 2 mm, próximo às marcações das varizes. Através dessas incisões, o cirurgião irá puxar a veia com um instrumento parecido com uma agulha de crochê. 


Depois de "pescar" a veia, ele irá puxá-la com delicadeza usando uma pinça, tentando retirar toda a veia sem quebrá-la. Uma a uma, as veias são retiradas. A maioria das vezes a cirurgia termina após a retirada de todas as veias.


A ressecção de varizes colaterais é feita com microincisões na pele

Mas, alguma vezes, é necessário retirar a veia safena magna ou a veia safena parva, o que chamamos, em termos médicos, de safenectomia. Vou detalhar a técnica convencional de retirada da veia safena magna, por ser mais comum, porém, hoje em dia, os procedimentos menos invasivos como a termoablação com laser ou com radiofrequência estão substituindo a safenectomia.


A retirada da safena começa com um corte na pele da virilha. Através da dissecção da gordura que há embaixo da pele, o cirurgião acha a veia safena. 


Neste momento, o médico precisará separar a veia safena da veia femoral, desconectando os sistemas venosos profundo e superficial (expliquei mais detalhes sobre os sistemas venoso profundo e superficial no post '